One Shot! Futebol & Arte Contemporânea

Exposição mostra a conexão entre o futebol e arte contemporânea através de fotografias, vídeos, esculturas e instalações .

O MuBE recebe a partir do dia 11 de junho, uma importante exposiçao de arte contemporânea e futebol. Longe de limitar-se às notícias sobre a Copa do Mundo, o projeto One Shot! abrange as muitas facetas desse esporte popular, que por sua vez, está conectado aos múltiplos desafios do mundo contemporâneo. Alem disso, destaca a relação que os artistas atuais têm com o mundo do futebol.

A Exposição ficará em cartaz em São Paulo, entre os dias
11 a 01 de julho de 2014 com vernissage no dia 10 de junho, terça-feira, às 19h

Exposição prorrogada até o dia 06 de julho de 2014

Idealizada pelo curador belga Pierre-Olivier Rollin (diretor do BPS 22, espaço dedicado à arte contemporânea, na Bélgica) em colaboração com Maximilien Luisetto, a exposição One Shot! reúne trabalhos de 22 artistas contemporâneos de vários países como França, Suiça, México, África do Sul, Alemanha, Inglaterra, Bélgica e Brasil através de fotografias, vídeos, esculturas e instalações relacionados ao futebol.

O projeto aborda o futebol de uma maneira particular. Entre as muitas facetas destacam-se a política, as questões financeiras, a cultura popular, o universo da publicidade, os fluxos migratórios ou a religião. “Cada obra pode ser entendida como uma metáfora de uma problemática mundial: a exploração do Terceiro Mundo, os rituais coletivos, a guerra, os territórios…” comenta P.-O. Rollin.

A premissa desta exposição é que o futebol, como é hoje divulgado, pode condensar metaforicamente questões do mundo contemporâneo. Partindo deste pressuposto foram selecionadas as primeiras obras de One Shot!: dois retratos em vídeo, separados por 30 anos, que refletem as mudanças no mundo moderno.

A primeira obra filmada em 1970, do diretor alemao Hellmuth Costard, segue o jogador George Best, durante um jogo contra o Coventry City : 6 cameras de 16mm acompanham o famoso zagueiro do Manchester United durante todo o jogo. A montagem é muito fluida, com alternância de breves acelerações e de fases de recuperação, seguindo o ritmo do jogador, que se mostra mestre de seu espaço-tempo.

Por outro lado, em 2005, os artistas Philippe Parreno e Douglas Gordon usam 17 câmeras para seguir o francês Zinedine Zidane num jogo do seu último clube, o Real Madrid. Eles mostram, dessa forma o retrato de um indivíduo super midiatizado. O ritmo do filme é ofegante, até explosivo, por uma montagem que empresta ao vídeo algo próximo a estética do jogo eletrônico. O jogador parece submetido a um ritmo, imposto pelos códigos midiáticos do mundo atual.
Ao lado desse dois vídeos, serão apresentadas obras explorando cada uma um aspecto do futebol atual, suscetível de esclarecer as problemáticas do mundo contemporâneo.

Assim, a série « Faces of Football » do casal suiço Mathias Braschler e Monika Fischer, mostra vários retratos que rompem com a vontade notavelmente publicitária de divinizar os jogadores profissionais. Eles são apresentados logo na saída de um jogo com o suor escorregando em seus rostos, os traços marcados pelo esforço sem nehuma maquiagem ou retoques para perturbar essa autenticidade.

Entre as obras expostas, a fotografia do artista belga Patrick Everaert, concebida especificamente para a exposição representa um banco que demonstra a passividade e a solidão vivida por alguns jogadores que não têm a chance de entrar em campo.

A instalação ”Pepitas de Ouro”, do artista camaronês Pascale Marthine Tayou expressa o sonho de muitos jovens na África que deixam o seu país e suas famílias, com a esperança de uma vida melhor na Europa. Cada bola simboliza a vida de uma dessas crianças, que um dia acreditou no brilho do futebol mundial. Na parte inferior da rede que contém as bolas, estão penduradas bijuterias, evocando as leves ondas de água que fluem de uma rede de pesca quando levantada. Essa pesca representa a busca dos olheiros europeus que procuram na juventude africana oportunidades comerciais de venda de jogadores para o mercado do futebol mundial.
Diversão ou não, o futebol não é uma exceção aos princípios do mundo capitalista. Patrocinadores, equipamentos esportivos feitos por operários em troca de um salário miserável ou ainda salários exorbitantes do jogadores profissionais, os ideais do lucro encontram-se em todos os cantos desse esporte.
Através da combinação de logos de grandes marcas e seus slogans “Feito por escravos para pessoas livres”, a dupla de artistas PSJM expõe as implicações financeiras ligadas a esporte/diversão.

Apesar de afirmar a popularidade do futebol, One Shot! nao é somente uma exposição dedicada a sua glória, tem como objeto de investigação as ressonâncias do mundo contemporâneo nesse esporte. De fato são muitos os artistas, que em algum momento de suas carreiras fizeram do futebol o foco de seu trabalho ou simplesmente o usaram como fonte visual.

Artistas Participantes
Thierry Fontaine (Ilha da Reunião)
Felipe Barbosa (Brasil)
Paulo Climachauska (Brasil)
Douglas Gordon (Inglaterra) & Philippe Parreno (Argélia)
Runo Lagomarsino (Suécia)
Pascale Marthine Tayou (Camarões)
Laurent Perbos (França)
Patrick Everaert (Bélgica)
Raul Mourao (Brasil)
Javier Rodriguez (México)
Democracia (Espanha)
Paulo Bruscky (Brasil)
Gianni Motti (Suíça)
Josef Dabernig (Áustria)
Leonardo Finotti (Brasil)
Mathias Braschler & Monika Fischer (Suiça)
Leda Catunda (Brasil)
PSJM (Espanha)
Kendell Geers (África do Sul)
Hellmuth Costard (Alemanha)
The Plug (Belgica)
Stephen Dean (França / Estados Unidos)

Serviço
Exposição: One Shot!
Curadoria: Pierre-Olivier e Maximilien Luisetto
Abertura: 10 de junho de 2014 – 19h
Data: 11 a 01 de julho de 2014 (terça a domingo) – Exposição prorrogada até o dia 06 de julho d 2014
Horário: 10h às 19h
Museu Brasileiro da Escultura
Avenida Europa, 218 – São Paulo (Estação de metrô mais próxima: Consolação)
(11)2594-2601
mube@mube.art.br
Entrada: Gratuita
Classificação: Livre

 Fotos por Iza Guedes